Tag Archives: Festival do Rio 2013

Crítica: Valentine Road (2013)

15 out

Imagem

Sabe, quando vejo alguma coisa assim, baseado em uma história real, sem qualquer resquício de ficção, me sinto um ser humano incapaz, alguém impotente diante de tanto ódio e impunidade que impregnam todo esse nosso mundo.

Valentine Road é um documentário dirigido por Marta Cunningham, que coletou vários dados, momentos, depoimentos do caso de Larry King, um jovem garoto que ainda tentava entender a vida. Larry, era um menino meigo com uma clara orientação homossexual desde muito cedo. Depois de passar por algumas decepções em um lar adotivo, ele é recebido em uma instituição que abriga menores sem moradia. Larry frequentava a escola e como já era dele, sempre chamava a atenção por ter um comportamento diferente dos demais meninos de sua idade. Sua exuberância porém, acabou despertando a ira de outros jovens como Brandon McInerney, um colega de classe que em uma atitude insana, atinge Larry com vários tiros em sua cabeça.

Bom, infelizmente histórias assim, de preconceito e intolerância acontecem a todo tempo. Vemos o exemplo da Rússia, um país que a cada dia regride quando se trata de direitos humanos. E não precisamos ir muito longe para enxergarmos isso não, afinal, aqui no Brasil temos um exemplo clássico de preconceito e impunidade, basta olharmos para algumas claras e tórpidas lideranças, vulgo Marcos Feliciano e afins.

Voltando ao documentário, Cunningham consegue expor todo o sentimento por trás da morte do pequeno Larry. É tudo muito mais complicado do que imaginamos quando envolvemos leis, religiões, instituições, governo etc. A obra passeia pela discussão entre a penalidade para menores de 18 anos. Não sei se muita gente sabe, mas nos EUA existe uma condenação para delitos cometidos por menores e, o que o documentário também aborda, é justamente isso. Cunningham apresenta os dois lados da moeda, com depoimentos de gente a favor e contra. Digo que alguns depoimentos me deixaram um pouco enojado, principalmente por saber que existe muita gente com aquele tipo de pensamento, mas ele serve para refletirmos de que precisamos lutar muito ainda se quisermos uma igualdade entre homens.

Saí emocionado do cinema, assisti ele no Festival do Rio 2013 e pude assimilar um pouco do que acontece em casos como esse, principalmente em uma situação dessas.

Se puderem, vejam e reflitam!

Trailer:

News: Entre Nós, filme de Paulo Morelli, concorre no Festival de Roma

14 out

Imagem

Depois de ter sido um dos maiores destaques do Festival do Rio 2013, Entre Nós, um drama dirigido pelo conceituado Paulo Morelli, segue na disputa do Festival de Roma que ocorrerá entre os dias 8 e 17 de novembro.

Aqui no Brasil ele já faturou prêmios como o de melhor atriz coadjuvante para Martha Nowill, melhor roteiro e menção honrosa de ator coadjuvante para Júlio Andrade.

O Foca na Pipoca ainda não viu, mas parece ser bem interessante. A história gira em torno de sete amigos que se reencontram dez anos após uma tragédia. O longa conta com estrelas globais como Carolina Dieckmann, Caio Blat e Paulo Vilhena.

Ele deve estrear nos cinemas nacionais em 28 de março do ano que vem. 

 

 

Crítica: O Lobo Atrás da Porta (2013)

14 out

Imagem

Nossa! Fico muito feliz em escrever a minha primeira crítica de um filme nacional aqui no blog, principalmente se tratando deste longa em específico.

Quando recebi o convite de um amigo para assisti-lo no Festival do Rio, em uma segunda-feira à noite, fria, chuvosa e ainda com passeata nas ruas, juro que fiquei muito receoso, afinal, a sinopse também não tinha me animado muito. No entanto, ter ido ao cinema naquele dia foi a minha melhor decisão, tanto pela companhia, quanto pelo filme que é simplesmente maravilhoso!

Desde O Som ao Redor, que estreou esse ano também, fiquei muito animado e esperançoso com o cinema brasileiro. Tive a sensação de que finalmente tínhamos deixado de apelar apenas para as comédias e começado a inserir um pouco mais de conteúdo dentro desse nosso mercado cinematográfico que é tão rico.

O Lobo Atrás da Porta, filme de Fernando Coimbra, é uma das maiores surpresas que tive esse ano. Com atuações de Leandra Leal (maravilhosa!), Milhem Cortaz, Fabíula Nascimento, entre outros, o longa aborda uma trama muito bem elaborada e conta a história de Sylvia (Fabíula Nascimento), que após ir pegar sua filha na escola, descobre que ela foi levada por uma outra pessoa. Apavorada, ela resolve ir à polícia e relatar tudo o que aconteceu. No vira e mexe da coisa, seu marido Bernardo (Milhem Cortaz), também vai para a delegacia e o policial interpretado pelo péssimo Juliano Cazarré, resolve interrogar todo mundo e fazer uma averiguação do caso. Dentre mentiras, traições, perversidade e tudo mais, a trama se desenrola e vão aparecendo outros personagens envolvidos assim como Rosa, interpretada por Leandra Leal.

Digo, é um drama com muito suspense que ultimamente tem sido difícil de se ver por aqui. Leandra Leal está talvez no melhor momento de sua carreira, sem qualquer pudor a atriz consegue passar a essência da personagem, além de aparecer em cenas bem sensuais com direito a nu frontal. A direção de Coimbra também é outro ponto forte, pois com uma mão firme, o cineasta apresenta uma narrativa muito bem elaborada, além do mesmo ter criado uma história bastante interessante e sem cair em muitos clichês. A trama é tão bem desenvolvida, que você fica fixado querendo saber o que vai acontecer depois. Existe também a interessantíssima participação de Thalita Carauta, que faz apenas uma ponta, mas sua atuação foi tão expressiva como a invocada Bete, que não precisou de mais de dez minutos para bilhar. E, aquele final é realmente chocante, nunca tinha passado pela minha cabeça que o desfecho iria ser daquele jeito. Fiquei impressionado.

Agora falando do único ponto negativo da película, consigo destacar a péssima atuação de Juliano Cazarré-ele sempre é péssimo-,mas como a participação dele nem era tão importante assim, não conseguiu estragar o recheio do bolo.

O Lobo Atrás da Porta debutou com louvor no Festival do Rio, sendo considerado, junto com o longa De Menor, os vencedores da Mostra. Recomendo demais e tomara que vá para o grande circuito, pois o mundo precisa ver isso.

Trailer:

Crítica: Blue Jasmine (2013)

3 out

Imagem

Sabe, eu nunca fui muito fã de Woody Allen como algumas pessoas são. Na verdade, eu gosto de alguns filmes bem pontuais como Manhattan ou Vicky Cristina Barcelona. Odiei Meia Noite em Paris com todas as minhas forças e depois desse, fiquei com trauma do diretor. Entretanto, eis que me pego lendo a sinopse de seu último filme, Blue Jasmine e, fiquei muito curioso, principalmente pela parceria até então inédita com a atriz Cate Blanchett.

Blue Jasmine estreou no Festival do Rio 2013 como um dos maiores destaques depois de tanto a crítica falar bem dele. Nos EUA o filme causou um tremendo alvoroço, chegando até a ser intitulado como um dos melhores trabalhos de Allen. E posso dizer? Eles tiveram razão, o longa é realmente brilhante!

A trama aborda a vida de Jasmine (Cate Blanchett), uma mulher rica, mimada, mal acostumada e todos aqueles estereótipos da alta sociedade. A princípio, o casamento com seu marido Hal (Alec Baldwin) vai indo de vento em popa, mas quando ela menos espera, o seu mundo encantado desmorona e seu marido vai parar na cadeia. Sem dinheiro, ela decide ir para a casa de sua irmã pobre Ginger (Sally Hanwkins), mas Jasmine precisará se adequar a uma outra realidade, já que estava totalmente habituada ao luxo.

Digo, quando Woody Allen quer fazer uma coisa bem feita, ele consegue. Acho que nem precisariam mais realizar a premiação da categoria de melhor atriz no Oscar 2014, pois com certeza o prêmio já pertence a Cate Blanchett. Que Blanchett e uma ótima atriz eu sei e não é de hoje, mas em um trabalho tão bem feito como esse eu nunca tinha visto. A atriz está perfeita desde a primeira cena e mesmo encarnando uma personagem que teria cem por cento de chances de se tornar caricata ou estereotipada, ela consegue fugir de tudo isso e nos apresenta algo totalmente fascinante. Cate insere com perfeição o tom de esquizofrenismo da personagem, que vai ganhando mais vida a cada cena. É incrível ver a expressão no rosto da atriz e a naturalidade com que ela faz aquilo. É impressionante!

Para não dizer que o filme se resume ao papel de Cate Blanchettna verdade poderia-, alguns outros pontos altos foram a direção de Allen, fato, a belíssima narrativa apresentada, com elementos do presente e passado de forma com que o expectador consiga acompanhar. A fotografia é belíssima e a trilha também é outro encanto.

Recomendo demais a vocês! Na verdade eu dei sorte, pois quando cheguei no cinema o filme já estava lotado, mas por um acaso tinha uma mulher, uma professora, que estava com um ingresso sobrando, pois o amigo não pôde ir. Ela estava vendendo o ingresso e eu com sede de comprá-lo. Poderia ser melhor?

Por isso, se puderem, não deixem de conferir esta maravilhosa obra!

Trailer:

Crítica: Como Não Perder Essa Mulher? (2013)

2 out

Imagem

Não, você não leu errado quando passou os olhos no título da postagem e depois no cartaz do filme. O negócio é que não sei porque cargas d’água, mas o nome dele no Brasil ficou “Como Não Perder Essa Mulher“? , pelo menos foi assim que ele apareceu na programação do Festival do Rio. E foi lá que eu assisti essa maravilhosa comédia.

Don Jon, título original, é o primeiro longa de Joseph Gordon-Levitt como diretor. A película é verdadeiramente uma graça, ela tem uma história bem simples, mas a direção de Levitt fez toda a diferença. Com a participação da bela e talentosa Scarlett Johansson e da veterana Juliane Moore, o longa conta a história de Jon (Joseph Gordon-Levitt), um jovem rapaz que está no auge da puberdade e com os hormônios à flor da pele. Entretanto, mesmo sendo o maior conquistador de todos os tempos, ele prefere muito mais o prazer que sente ao assistir vídeos eróticos na internet, do que propriamente fazer sexo com belas mulheres. É nesse meio tempo que aparece Bárbara (Johansson), uma exuberante figura feminina que Jon conhece em uma boate. Bárbara e Jon começam a sair e ela aos poucos tenta domar o comportamento do garanhão, fazendo até com que ele voltasse a estudar. Já na instituição de ensino, Jon conhece Esther (Juliane Moore), uma adorável e problemática mulher que faz com que tudo comece a tomar um outro rumo.

Achei interessante a abordagem que Levitt fez em cima da pornografia que acontece dentro do mundo masculino, acho que ele colocou da maneira certa. Outro ponto alto da obra são as atuações, principalmente a de Johansson, que consegue passar perfeitamente a essência da personagem fútil e mimada que interpreta, além de ela estar em sua melhor forma física-muito gostosa-, de fato.

Agora o ponto mais alto do longa, pra mim, foi a precisão com que foi feita aquela última cena de sexo entre o personagem de Levitt e o de Juliane Moore. Sem apelar, a cena consegue passar todo o erotismo daquele momento, a conexão entre os atores estava perfeita. Juro que quase tive um orgasmo ao assistir aquilo, me lembrei das melhores transas que já tive, aquelas que foram feitas com paixão, quem já teve sabe do que falo.

No mais, acrescento o bom humor inserido na trama, com algumas peculiaridades bem engraçadas e a aparição da atriz Glenn Headly (Dick Tracy).

Assisti ele na programação do Festival do Rio e recomendo demais!!!

Trailer:

News: Veja os destaques do Festival do Rio 2013 para o fim de semana

28 set

Imagem

Não sabe o que assistir no fim de semana? Pois bem, o Foca na Pipoca apresenta a você os destaques do Festival do Rio 2013 para os dias 28 e 29 de setembro.

Blue Jasmine

É o novo longa do diretor Woody Allen que conta a história de uma americana rica (Cate Blanchett), que após perder a sua fortuna, passa a viver sem luxo na casa de sua irmã pobre (Sally Hawkins). O longa foi muito elogiado nos EUA e é um dos maiores destaque do Festival.

Panorama do Cinema Mundial (Classificação: 12 anos)
29/09 – 21h30 Cinemark Downtown 10

 

Só Deus Perdoa

Ryan Gosling está de volta em mais um filme impactante e cheio de violência. Depois de Drive, o diretor dinamarquês Nicolas Winding Refn seguiu a mesma linha, chamando o mesmo ator do anterior para realizar Só Deus Perdoa. O longa apresenta a trama de um traficante de drogas que pretende vingar a morte de seu irmão.

Panorama do Cinema Mundial (Classificação: 16 anos)
28/09 – 14h Roxy 3
28/09 – 19h Roxy 3

 

Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses 

E o festival também tem programação para os pequenos. Na verdade, esse é talvez seja o filme mais aguardado do evento e pelos Fãs de Dragon Ball Z também. A animação se passa depois da batalha travada em Majin Buu, quando o equilíbrio da Terra é ameaçado e Goku é forçado a enfrentar uma grande batalha para salvar o planeta.

Midnight Movies (Classificação: 10 anos)
28/09 – 21h30 Cinemark Botafogo

 

Como Não Perder Essa Mulher?

Com Scarlett Johansson e Julianne Moore, o filme é o primeiro trabalho como diretor de Joseph Gordon-Levitt. A película conta a história de Jon (Levitt), que após se apaixonar por Bárbara (Johansson), terá de abandonar alguns de seus hábitos do passado para que tudo dê certo e consigam ficar juntos.

Panorama do Cinema Mundial (Classificação: 14 anos)
28/09 – 16h30 Cinépolis Lagoon 5
28/09 – 21h30 Cinépolis Lagoon 5

News: Dakota Fanning virá para o Festival do Rio 2013

21 set
Imagem

A atriz apresentará seu novo filme, Night Moves

A atriz Dakota Fanning (Uma Lição de Amor) virá ao país para o Festival do Rio 2013 que acontecerá entre os dias 26 de setembro a 10 de outubro. Ela virá mais especificamente para apresentar o lançamento de seu novo filme, Night Moves, um suspense que tem como trama o ecoterrorismo.

Dakota estará cine Odeon Petrobrás, dia 28 de setembro, às 19h15, que fica na Praça Floriano, número 7, na Cinelândia, centro da cidade.

Essa é uma boa dica para os fãs desse supertalento que cresceu aos olhos do público 😉

Segue um clip do novo filme dela, deem uma olhada!

News: A mostra Midnight Movies do Festival do Rio vem com novos filmes cult

20 set

Para quem não sabe, a mostra Midnight Movies é um segmento que acontece dentro do Festival do Rio e tem como função apresentar filmes de conteúdo surpreendente, intrigante, chocante e até bizarro. Nessa mostra, geralmente vemos filmes muito interessantes, mas que não saem no grande circuito, ou seja, você não vai conseguir assisti-los em um Cinemark da vida.

Entretanto, para isso é que existe o Festival do Rio, que a cada ano vem com uma safra de longas interessantíssimos. Este ano temos uma boa variedade e, dentre eles, temos o ABC da Morte, um longa que tem como sinopse as várias formas de mortes a partir das letras do alfabeto. É uma obra que em sua composição, traz vários diretores ambiciosos em fazer com que o expectador saia da cadeira do cinema bem intrigado.

Imagem

O ABC da Morte

Direto do Japão, temos a película de humor negro Por que você não vai brincar no inferno?, do elogiado diretor Sion Sono. Da França, temos Wrong Cops – Os maus policiais, filme realizado pelo produtor do maravilhoso Rubber, que participou do Festival em 2010 e também o suspense aterrorizante O lado sombrio.

Imagem

Kink – Sadomasô online

Já no campo dos fetiches, vemos o documentário Kink – Sadomasô online, uma obra que explora o universo sadomasoquista, uma produção do grande astro de Hollywood James Franco. E o festival também traz nomes bem conhecidos como o de Eli Roth, que produziu Green Inferno, um longa que trata sobre canibalismo.

Imagem

Green Inferno

Eu não cheguei a citar todo, só um pouco do que poderemos ver na mostra Midnight Movies que fará parte do Festival do Rio 2013 que acontece de 26 de setembro a 10 de outubro. Por isso, não fique de fora!

News: Os passaportes para o Festival do Rio 2013 já estão à venda!

17 set

Imagem

A venda de passaportes para o Festival do Rio 2013 começa nesta terça-feira (17), às 12h, exclusivamente online. Para retirar o seu passaporte, basta levar sua carteira de identidade, CPF e o comprovante de compra na central de ingressos, no cinema Estação Rio, a partir do dia 25 de setembro.

Os passaportes são válidos para os filmes da programação do festival, que ocorre entre os dias 26 de setembro e 10 de outubro. Os cinemas incluídos são: Odeon Petrobras, Estação Rio 1, Estação Rio 2, Estação Rio 3, Estação Botafogo 1, Estação Botafogo 3, Estação Vivo Gávea 1, Estação Vivo Gávea 4, Estação Vivo Gávea 5, Estação Ipanema 1, Estação BarraPoint 1, Centro Cultural da Justiça Federal, CineCarioca Méier 3, Roxy 3, Leblon 2, São Luiz 3, São Luiz 4 e a sala Instituto Moreira Salles.

Vale lembrar que é obrigatória a apresentação da carteira de identidade e do passaporte na central de ingressos e na entrada das salas de exibição. Veja abaixo as opções de pacote:

Passaportes de 20 ingressos – 180,00
Passaportes de 50 ingressos – 400,00

por Lua Amora, para o AdoroCinema

News: Segue a lista dos filmes que estarão no Festival do Rio 2013

16 set

Imagem

Pessoal, para quem se amarra em cinema e não perde nenhum Festival do Rio, disponibilizo aqui a lista dos filmes que estarão presentes no evento que ocorrerá em menos de duas semanas. O festival começará dia 26 de setembro e irá até o dia 10 de outubro. Portanto, não perca a chance der ver alguns dos longas mais interessantes dos últimos tempos.

Ao longo da semana, vou tentar colocar o que eu puder sobre o festival aqui. Fique ligado!

Segue a lista:

Algumas Garotas, Santiago Palavecino
Amazônia – Planeta Verde, Thierry Ragobert
Até que a Loucura nos Separe, Wang Bing
Os Bastardos, Claire Denis
Behind the Candelabra, Steven Soderbergh
Blue Jasmine, Woody Allen
The Canyons, de Paul Schrader
Um Castelo na Itália, Valeria Bruni Tedeschi
Como Não Perder Essa Mulher, Joseph Gordon-Levitt
O Desconhecido Conhecido: A Era Donald Rumsfeld, Errol Morris
Dr. Mabuse, o Jogador, Fritz Lang
Em Berkeley, Frederick Wiseman
Um Estranho no Lago, Alain Guiraudie
La Fille de Nulle Part, Jean-Claude Brisseau
Gare du Nord, Claire Simon
Gigolô em Decadência, John Turturro
Gold, Thomas Arslan
Gravidade, Alfonso Cuarón
Heli, Amat Escalante
I Am Divine, Jeffrey Schwarz
Joe, de David Gordon Green
Mel, Valeria Gilino
O Mordomo da Casa Branca, Lee Daniels
Muher Pública, Alfred Hitchcock
Nebraska, Alexander Payne
Nós Somos os Melhores!, Lukas Moodysson
Only God Forgives, Nicolas Winding Refn
Only Lovers Left Alive, Jim Jarmursch
O Pensionista (aka O Inquilino Sinistro), Alfred Hitchcock
Por que Você Não Vai Brincar no Inferno?, Sion Sono
Pussy Riot: A Prece Punk, Mike Lerner & Maxim Pozdorovkin
Salvo, Fabio Grassadonia, Antonio Piazza
Sources of Life, Oskar Roehler
Taboor, Vahid Vakilifar
The Spirit of 45, Ken Loach
O Teorema Zero, Terry Gilliam
Terra Prometida, Gus Van Sant
A Vida Depois, David Pablos
Walesa, Homem da Esperança, Andrzej Wajda

%d blogueiros gostam disto: