Tag Archives: Rio

Crítica: Rio, Eu Te Amo (2014)

15 set

313388.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Sabe gente, fiquei imensamente feliz que a cidade do Rio de Janeiro foi escolhida para encabeçar um projeto cinematográfico tão legal intitulado “Cities of love”, que começou com Paris, Eu Te Amo (2006), seguido por Nova York, Eu Te Amo (2009). O Rio de Janeiro é certamente uma cidade linda, quer dizer, mais a zona sul, porém também não deixa de ter seus problemas, assim como qualquer metrópole.

Rio, Eu Te Amo é uma compilação de 10 curtas comandados por diretores consagrados como Fernando Meirelles, Carlos Saldanha, Stephan Elliott, Paolo Sorrentino, entre outros. É certamente um grande projeto que pude conferir no final da tarde deste domingo (14). Me referindo aos detalhes, quase que não consegui assisti-lo, pois minha companhia não era do tipo que apreciasse filmes alternativos, mas por força do destino tudo conspirou para que sim. É por isso que nessas horas sempre prefiro ir ao cinema sozinho.

Então, vamos começar! O projeto inicia de maneira única e triunfal com a maravilhosa Fernanda Montenegro, interpretando Dona Fulana, título do curta inclusive. Ele é dirigido por Andrucha Waddington, que já realizou grandes projetos como Eu, Tu, Eles (2000) e Casa de Areia (2005), película na qual também trabalhou com Fernanda Montenegro. Pois bem, a sinopse gira em torno de Leandro (Eduardo Sterblitch), que acreditava que sua vó estava morta. Passeando pela cidade, ele descobre que Dona Fulana está viva, porém abdicou de todo conforto para ir morar na rua. Eu poderia ficar horas falando sobre a atuação da fofa da Fernandinha, que realmente deu um show de vivacidade e conseguiu me emocionar com uma personagem tão simples, mas que em poucos minutos, conseguiu ir muito mais além do que um simples script. Tudo o que ela toca vira ouro. Não é atoa que é dona de uma indicação ao Oscar e um prêmio Emmy.

Temos também o curta Acho que Estou Apaixonado de Stephan Elliott, que já brilhou a frente do clássico Priscilla, A Rainha do Deserto (1994). Nele, Ryan Kwanten, mais conhecido por sua atuação na série de TV True Blood, é Jay, um astro de cinema que chega à cidade para promover seu último trabalho no Festival do Rio. Jay então é recepcionado por Marcelo Serrado, que encarna um taxista responsável por levar o astro hollywoodiano até o seu destino. Entretanto, no meio do caminho, Jay fica encantando com a paisagem da Cidade Maravilhosa, especialmente o Pão de Açúcar e resolve escalar a pedra até o alto. Tipo, meio surreal e acho que impossível de fazer aquilo, mas como é ficção e Elliot é australiano, dou um desconto por fantasiar demais (hehehe). Isso sem falar de Bebel Gilberto cantando envolvida por uma luz rosa no pico do ponto turístico carioca. Surreal! Mas num todo valeu a pena, principalmente por Marcelo Serrado que deu um show. E ah! esqueci de falar que rola uma certa química entre os dois no desenrolar da história (babado!).

Já o brasileiro Carlos Saldanha (Rio / A Era do Gelo) surge com Pas de Deux, uma história super envolvente de uma casal de bailarinos interpretados por Rodrigo Santoro e a bela Bruna Linzmeyer, mais conhecida por sua personagem portadora de síndrome de Down Linda, da novela Amor à Vida veiculada pela Rede Globo no ano de 2013. Os dois estão prestes a entrar em cena, porém precisam resolver uma questão pendente entre ambos, devido à uma proposta recebida por ele para atuar no exterior. A coisa começa a ficar intensa e é aí que a magia começa, pois a discussão acontece durante um belíssimo número de balé à sombra e luz. A dança é realmente magnífica e Rodrigo me fez arrepiar com cada pegada que ele dava na garota (aloka!). Só achei que Linzmeyer ficou um pouco aquém do esperado. Sinto que faltou um pouco mais de entrega por parte dela, acho que uma outra atriz no papel ficaria bem mais interessante.

E para fechar temos O Milagre, dirigido pela libanesa Nadine Labaki, que também atua no curta ao lado do consagrado Harvey Keitel (O Piano). Labaki e Keitel interpretam dois atores famosos que estão na cidade finalizando uma película, porém no meio do percurso conhecem um fofo garotinho vivido por Cauã Antunes, que acredita estar por receber uma ligação de Jesus Cristo em um orelhão público. Entretanto, entendendo que o menino irá esperar em vão, os atores decidem ajudar o garotinho a receber a tão esperada chamada celestial. Gente, que lindinho é esse tal de Cauã e que talento a criança já carrega dentro de si, muito melhor que outros ditos atores consagrados de Hollywood. A história é muito fofa e o texto primoroso, um dos melhores de todo o projeto com certeza!

Agora vou dizer o que eu achei do filme num todo. Tipo, claro que não dá pra citar com especificidade cada um dos curtas apresentados em Rio, Eu Te Amo, porém coloquei aqui os que mais me chamaram a atenção. Lógico que tiveram imperfeições, inclusive uma delas é certamente o fato de só mostrarem o lado glamuroso do Rio de Janeiro. Tudo é muito perfeito, porém fica só na zuna sul, né? O pouco que mostraram de outras áreas foram a favela do Vidigal, que pra mim já é elite e uma rápida passagem de bondinho pela Penha. Fora as incoerências de de repente estarmos na Central do Brasil e em outro momento na Pedra do Arpoador ou na Floresta da Tijuca (me senti em Crepúsculo). Achei totalmente “freak” o curta O Vampiro do Rio, de Im Sang Soo. Sei lá, penso que não contextualizou uma coisa tão trash no meio de tanto romance. Também não gostei muito de Texas, por Guillermo Arriaga. Senti que faltou alguma coisa ali, ficou incompleto.

Bom, no mais eu acredito que o projeto tenha o seu valor sim, que me agregou como uma cultura de massa e persuasiva. Como foi falado, tivemos ótimos trabalhos, já outros nem tanto. Todavia, num todo foi super agradável de assistir. Recomendo com certeza!

Trailer:

News: O Doador de Memórias, Os Cavaleiros do Zodíaco e Rio, Eu Te Amo são as grandes estreias para o fim de semana

12 set

rioooooo

Aí minha gente, fim de semana chegando e temos ótimas opções de entretenimento nas salas de cinema de todo Brasil.

A começar por Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário, a série que embalou a minha infância está de volta e com um mega filme da temporada que mais gosto que é a da luta dos Cavaleiros de Bronze contra o Mestre do Santuário e os lendários Cavaleiros da Armadura de Ouro.

E para você que gosta de uma história um pouco mais elaborada, temos a estreia de O Doador de Memórias, que é baseado num clássico da literatura infanto-juvenil de mesmo nome, no qual o jovem (Brenton Thwaites) terá que desvendar os mistérios de sua sociedade “perfeita”. Esse tem Meryl Streep.

E por último, mas não menos importante, temos Rio, Eu Te Amo, que faz parte de uma sucessão de outros filmes de mesma pegada, só que agora exaltando a Cidade Maravilhosa. Para quem não sabe, ele é uma compilação de vários curtas como La Fortuna, de Paolo Sorrentino, Pas de Deux, de Carlos Saldanha, Inútil Paisagem, de José Padilha e A Musa, por Fernando Meirelles e Cesar Charlone. No elenco temos nomes como Rodrigo Santoro, Wagner Moura, Fernanda Montenegro, entre outros.

Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário: “Na luta para defender Atena e colocá-la em seu lugar de direito, os Cavaleiros de Bronze lutam para superar o Mestre do Santuário e os poderosos Cavaleiros de Ouro, guardiões das 12 casas. Inicialmente chamado de “Saint Seiya – Knights of the Zodiac”, o filme é uma adaptação para os cinemas da saga “Cavaleiros do Zodíaco”.

O Doador de Memórias: “Uma pequena comunidade vive em um mundo aparentemente ideal, sem doenças nem guerras, mas também sem sentimentos. Uma pessoa é encarregada a armazenar estas memórias, de forma a poupar os demais habitantes do sofrimento e também guiá-los com sua sabedoria. De tempos em tempos esta tarefa muda de mãos e agora cabe ao jovem Jonas (Brenton Thwaites), que precisa passar por um duro treinamento para provar que é digno da responsabilidade”.

Rio, Eu Te Amo: “Novo episódio da série de filmes Cidades do Amor, Rio, Eu Te Amo reúne dez curtas de dez diretores brasileiros e internacionais. Cada uma das histórias revela um bairro e uma característica marcante da cidade maravilhosa.

Dona Fulana, por Andrucha Waddington
Leandro acreditava que sua avó, que conheceu quando criança, estava morta, até encontrá-la um dia na rua. Dona Fulana mora na rua, e de lá não quer sair. Mesmo com os apelos do neto, ela se recusa a voltar para casa, e ainda o leva numa experiência inesquecível pelo Rio de Janeiro.

La Fortuna, por Paolo Sorrentino
Uma ex-modelo e seu marido vêm para o Rio de Janeiro passar férias em uma linda casa de praia. Mas ele esta cansado da atitude controladora da mulher, e decide por um fim nessa situação.

A Musa, por Fernando Meirelles e Cesar Charlone
O escultor Zé reproduz nas areias de Copacabana obras mundialmente conhecidas, até o dia em que vê passar uma linda jovem no calçadão. Sonhando com sua nova musa, ela o inspira a criar uma escultura original.

Acho que Estou Apaixonado, por Stephan Elliott
Jay esta no Brasil para divulgar seu novo filme no Festival do Rio. Após o evento, ele não vê a hora de voltar para o hotel e descansar, mas seu motorista não para de puxar conversa. Quando Jay se depara com o Pão de Açúcar, fica deslumbrado e é atraído até o ponto turístico.

Quando Não Há Mais Amor, por John Turturro
Um casal viaja até a ilha de Paquetá, mas percebe que, na verdade, seu casamento esta chegando ao fim. Então, eles aproveitam a ocasião para fazer uma bela despedida.

Texas, por Guillermo Arriaga
Após um acidente de carro, Texas, um ex-lutador de boxe, perde um braço e sua esposa não consegue mais andar. Movido pelo sentimento de culpa, ele esta disposto a fazer de tudo para arrecadar o dinheiro necessário para a cirurgia que pode curar sua mulher. Com isso, acaba se envolvendo em uma rede lutas clandestinas no Rio de Janeiro.

O Vampiro do Rio, por Im Sang Soo
Fernando é um garçom de meia-idade que trabalha num movimentado restaurante turístico. Ele mora no Vidigal, guarda um grande segredo e é apaixonado por Isabel, sua vizinha. Ela é uma mulher bonita e batalhadora, que trabalha como prostituta para sustentar a filha.

Pas de Deux, por Carlos Saldanha
Um casal de bailarinos esta ensaiando um novo espetáculo, quando ele recebe um convite para se apresentar no exterior. O jovem hesita em aceitar a proposta com medo de prejudicar seu relacionamento com a parceira. Faltando poucos minutos para entrar no palco, a discussão se agrava, mas o show tem que continuar.

O Milagre, por Nadine Labaki
Durante uma filmagem no Rio, um casal de atores famosos conhecem um menino que acredita receber telefonemas de Jesus. No início, eles o encaram com desconfiaça, mas depois percebem que o “Jesus” com quem ele fala não é quem o menino esta pensando.

Inútil Paisagem, por José Padilha
Um instrutor de asa-delta analisa sua relação com as pessoas e a cidade durante um voo na Pedra Bonita”.

Sinopses por AdoroCinema

Crítica: Rio 2 (2014)

13 abr

Rio 2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois de uma longa espera, finalmente já podemos ver a continuação de uma das animações mais fofas dos últimos tempos. Rio 2 foi esperado com bastante expectativa, visto o tamanho do sucesso que o primeiro longa teve, arrecadando mais de 484,4 milhões de dólares em 2011, entrando inclusive para a lista das 100 obras mais  rentáveis do cinema, figurando na 95ª posição.

Desta vez o diretor brasileiro Carlos Saldanha resolveu levar a família de ararinhas azuis para a Amazônia. Acredito que Saldanha tenha acertado em cheio, optando por manter quase que todo o elenco de animais do primeiro longa. Essa jogada de mestre fez com que o público que se apegou ao personagens de Rio, pudesse matar as saudades e vê-los em outras situações e confusões nesta segunda película.

Bom, vamos lá! Falando um pouco sobre a sinopse deste longa, as araras Blu (Jesse Eisenberg), sua esposa Jade (Anne Hathaway) e seus três filhos Carla (Rachel Crow), Bia (Amandla Stenberg) e Tiago (Pierce Gagnon), resolvem ir em busca de suas descendências (as araras azuis) no coração da Floresta Amazônica, após verem seus donos Linda (Leslie Mann) e Túlio (Rodrigo Santoro), apresentando uma pena de arara azul para um jornal na televisão. Curiosos em conhecer outros amigos de sua espécie que julgavam não existir mais, Blue, Jade e cia, partem em busca de verdades e acabam encontrando muita confusão pelo meio do caminho.

Ouso dizer que o primeiro filme foi melhor, mas este segundo não perdeu muito não. Acho que a trilha sonora sim, ficou bem abaixo em relação a do primeiro, porém em outros quesitos a película não fez feio não. Destaque para o carisma dos filhotes da arara Blue, que conseguiram certamente conquistar o público. Saldanha também acertou em incluir elementos como o futebol, desmatamento, reality shows, entre outros nesta nova trama. A viagem do Rio de Janeiro até a Amazônia também ficou muito bem caracterizada dentro da proposta da obra, realmente um encanto. Super recomendo!

Trailer:

 

News: Veja o trailer e o novo pôster de Rio 2

25 nov

20634996

A continuação da animação Rio, dirigida por Carlos Saldanha, acaba de ganhar novo pôster (acima), e é um dos filmes mais esperados para 2014.

Rio 2 estreia dia 28 de março e no cartaz já dá pra sentir um pouco do que vai acontecer nesta segunda parte, já que as araras Blu e Jewel irão deixar o Rio de Janeiro e ir direto para a Amazônia.

Veja o trailer:

%d blogueiros gostam disto: