Arquivo | julho, 2015

News: Empresário australiano irá recriar um novo Titanic

31 jul

titanic

Já imaginou viajar no Titanic? (eu já!) …hehehe

Então minha gente, agora o sonho pode se tornar realidade, ou….nem tanto assim. Vou explicar!

Um grande magnata australiano chamado Clive Palmer, teve a brilhante ideia de criar um Titanic II. Com a proposta de tentar seguir ao máximo tudo o que de fato fazia parte do navio que naufragou em 1912, Palmer criará um transatlântico com capacidade para 2.4 mil passageiros e terá sua viagem inaugural no terceiro trimestre de 2016, ligando Southampton, na Inglaterra, a Nova York, nos Estados Unidos, assim como o primeiro Titanic fez.

O projeto administrado pela empresa Blue Star Line, é audacioso. Ele terá, inclusive, uma divisão por classes. Tudo será milimetricamente estudado para que os passageiros sintam-se, de fato, no navio original. A única diferença é que novas medidas terão de ser tomadas, devido às novas cláusulas de navegação. Por isso, toda a aparelhagem da sala de comando e os meios de comunicação deverão ter uma tecnologia mais avançada. Os botes, também modernizados, deverão comportar o número total de pessoas no navio.

Agora vem a notícia triste. Para quem desejar embarcar nessa viagem dos sonhos, terá de entrar numa fila com mais de 50 mil pessoas na espera. É isso mesmo! Tá todo mundo querendo dançar My Heart Will Go On como se fossem Rose e Jack…ahahaha…aloka!

Ainda não temos fotos oficiais do Titanic II, mas abaixo vocês já podem ver algumas projeções digitais de como será. Dá uma conferida!

titanic 2 titanic 3 titanic 4 titanic 5 titanic 6 titanic 7 titanic 8 titanic 9 titanic 10 titanic 13 titanic 14

Channing Tatum e Chris Pratt ainda podem estrelar o segundo spin-off de Os Caça-Fantasmas

31 jul

ghostbusters-reboot-channing-tatum-chris-pratt

Parece que teremos sim mais um spin-off de Os Caça-Fantasmas, além do que já está sendo produzido com Kristen Wiig e Melissa McCarthy no elenco. Pelo menos é o que os últimos tramites comprovam.

O fato é que Drew Pearce (Homem de Ferro 3) concedeu uma entrevista à MTV, dizendo que já entregou para a Sony Pictures, um pré-roteiro referente a um novo spin-off do clássico oitentista.

“Terminei meu trabalho nas últimas semanas. Claro que é top secret, mas foi uma ideia bem ousada que tive e que os irmãos Russo e Ivan Reitman irão pegar e desenvolver. Não posso falar mais, mas, se tudo der certo, vocês saberão em breve!”

Joe e Anthony Russo (Capitão América: Guerra Civil) possuem um acordo com a Sony para mais alguns filmes. E além disso, eles ainda são os prediletos para estarem a frente do segundo reboot de Os Caça-Fantasmas.

A ideia para este novo projeto é colocar homens novamente como os protagonistas, sendo Channing Tatum e Chris Pratt os favoritos. Inclusive, Pearce já confirmou o seu interesse em ambos para o trabalho.

“Definitivamente é o elenco ideal que pensamos. Se vai se concretizar ou não, está além do meu domínio. Meu trabalho é apenas oferecer algo excitante que eles possam querer fazer.”

O roteirista também indicou que sua ideia é amarrar as tramas e colocar tudo em um mesmo universo: “Minha inclinação pessoal é tentar fazer tudo acontecer no mesmo universo “Os Caça-Fantasmas”, porque, como fã, é o que eu gostaria. Como tudo é em Nova York, dá vontade de amarrar as tramas. Dei ferramentas para isso, espero”, disse Drew.

As Caça-Fantasmas estreia dia 21 de julho de 2016, já o segundo reboot ainda não temos informações.

News: Carrossel 2 vem aí!!!

30 jul

1280x720-q1h

É, parece que a novelinha infantil do SBT não foi sucesso só na TV, mas no cinema também!

Com um público de 956 mil pessoas, contabilizando suas estreias e pré-estreias, Carrossel – O Filme agradou a alta cúpula da Paris Filmes, e a produtora já confirmou que o longa terá uma continuação.

A adaptação de Carrossel só comprovou o que muita gente já sabia: que o público infantil também sente falta de opções nacionais voltadas para eles nas telonas.

Carrossel 2 ainda não possui quaisquer informações sobre elenco, direção ou roteiro, mas que teremos mais aventura de Cirilo e companhia, isso sem dúvidas!

Confira o trailer e a nossa crítica para Carrossel – O Filme

News: Escândalos de pedofilia da Igreja Católica são o tema central do drama Spotlight, estrelado por Michael Keaton e Mark Ruffalo

30 jul

maxresdefault (1)

Spotlight é o novo loga de drama estrelado pelos veteranos Michael Keaton e Mark Ruffalo. Na verdade, o filme irá retratar um tema bastante polêmico, os casos de abuso sexual envolvendo padres da arquidiocese de Boston.

Com direção de Thomas McCarthy (O Visitante), que inclusive já foi indicado ao Oscar de melhor roteiro original por Up: Altas Aventuras (2009), a película irá se basear em casos reais, divulgados pelo Boston Globe, que devido ao seu cunho investigativo, em 2002, descobriu vários casos de abuso sexual envolvendo adolescentes dentro ciclo religioso.

516658

A cobertura teve tanta repercussão, que a Igreja chegou a se afundar em uma crise, a partir de tantos outros casos em várias partes do mundo. O processo foi longo, que chegou a envolver episódios de abafamento por parte da Igreja Católica.

Além dos já citados, Spotlight terá em seu elenco nomes como Rachel McAdams, Brian d’Arcy James, John Slattery, Liev Schreiber, Stanley Tucci e Billy Crudup. Sua estreia está marcada para setembro no Festival de Veneza de 2015. Ainda não temos data para o Brasil.

Confira o Trailer:

Crítica: Magic Mike XXL (2015)

30 jul

magic-mike-xxl-jacobs

Um dos filmes mais esperados do ano chega finalmente aos cinemas. Estou falando de Magic Mike XXL, a continuação do popular longa-metragem protagonizado pelo astro Channing Tatum, no ano de 2012.

Com uma bilheteria em torno de US$ 167,2 milhões, o primeiro filme arrancou os suspiros de muitas mulheres ao redor do mundo e elevou Tatum a um status de “objeto sexual”. A partir daí, os strippers mais cobiçados do cinema criaram uma enorme expectativa em relação ao segundo longa. É claro, principalmente entre elas.

A verdade é que muitas mulheres ansiavam por esta estreia. Digo isso com propriedade, devido ao número de espectadores do público feminino nos Estados Unidos. De acordo com o site The Hollywood Reporter, nos primeiros dias após a estreia oficial, constatou-se que 96% do público era composto por mulheres. E também pude atestar isso na própria apresentação do longa para a imprensa aqui no Rio de Janeiro, onde consigo afirmar que a porcentagem de espectadoras era praticamente o mesmo.

Depois de um tempo afastado dos palcos e voltando seus esforços para seu próprio negócio, Mike (Channing Tatum), recebe uma ligação de Tarzan (Kevin Nash), seu velho amigo de Tampa, convocando-o para uma reunião com seus antigos companheiros, devido a um motivo especial. Mike atende o pedido e viaja até o encontro de todos. O que ele não sabia é que tudo aquilo serviria como pretexto para que o grupo de amigos voltasse a cobiçar um novo show, só que agora de despedida, na cidade de Myrtle Beach.

Com um roteiro preguiçoso e muito homem sem camisa, Magic Mike XXL parece ter sido feito com a única intenção de causar furor entre o público feminino. Na verdade, não posso negar que de fato essa era uma das propostas do longa desde o início, mas não poderia imaginar que se resumiria a apenas isso. Algumas cenas eram tão vazias, que mesmo com toda aquela apelação, eu quase caí no sono algumas vezes. Os diálogos eram pobres demais, se resumiam a flertes mal feitos e discussões evasivas. A impressão que dava era que o roteirista Reid Carolin não estava com muita inspiração e decidiu criar quase que uma cópia de “American Pie” (1999), no pior dos sentidos.

Tudo estava tão sem rumo, que até o casal Channing Tatum e Amber Heard Depp pareciam mais gelados que o iceberg do filme “Titanic” (1997). A química entre eles definitivamente não rolou e sequer tivemos uma chance de torcer pelos pombinhos. A verdade é que Tatum ficou totalmente apagado na trama, sendo engolido pela presença de Joe Manganiello durante toda película. Richie (Joe Manganiello) roubou a cena como galã, mesmo tendo servido como “step” devido a não presença de Matthew McConaughey na continuação. Para mim, essa segunda parte deveria se chamar “Magic Richie”, sem sombra de dúvidas.

A participação de veteranas como Andie MacDowell e Jada Pinkett Smith serviu apenas para preencher lacunas deixadas por um roteiro pouco criativo e algumas atuações bem isossas. Já o vencedor do Globo de Ouro, o ator Matt Bommer, mesmo tendo um destaque maior neste filme, não conseguiu se sobressair.

A trilha sonora da película não se destacou, mas serviu como estratégia para que a plateia não caísse no sono durante a exibição do filme. Repleto de músicas dançantes, Magic Mike XXL acabou se tornando repetitivo demais. Já a fotografia também não chegou a ser um ponto forte da obra, que optou por cenas mais escuras e muita luz de palco.

O fato é que o novo filme do diretor Gregory Jacobs (Estrada Maldita) não passou de uma distração para mulheres sedentas por corpos malhados e definidos. Visualmente, o filme cumpre o seu papel, mas não se engane achando que terá algo mais profundo, pois Magic Mike XXL será só mais uma distração um pouco apimentada.

Trailer:

*Crítica também postada no site Blah Cultural

Crítica: Carrossel – O Filme (2015)

27 jul

carrossel

Transmitida no Brasil entre o período de 20 de maio de 1991 a 21 de abril do ano seguinte pelo SBT, a telenovela mexicana Carrossel conquistou uma geração de crianças e adolescentes que cresceram assistindo as aventuras da turma da doce Professora Helena.

Com Carrossel, muitos dos jovens e adultos de hoje aprenderam a adquirir um pouco de paciência com o Cirilo, que a maldade não compensa com a Maria Joaquina, e que travessuras, como as do Paulo, as vezes possuem certos limites.

A novelinha infantil fez tanto sucesso, que chegou a ganhar outras continuações como Carrossel das Américas (1992), Viva às Crianças! – Carrossel 2 (2002 – 2003) e por fim uma versão com atores brasileiros no ano de 2012, totalmente produzida pelo canal de Silvio Santos.

Com essa versão tupiniquim, o sucesso que já era previsto, acabou se confirmando e o folhetim alcançou uma audiência bastante satisfatória para o SBT, assim como um grande faturamento com produtos licenciados e uma nova legião de fãs mirins completamente apaixonados. O estrondo foi tão grande, que não demorou muito para realizarem uma adaptação cinematográfica da trama infantil.

Sem a presença da Professora Helena, o filme contou com todo o elenco infantil da versão brasileira como Maísa Silva, Jean Paulo Campos, Larissa Manoela, entre outros. Na trama, os alunos da Escola Mundial viajam para o acampamento de férias Panapaná, que pertence ao avô de Alícia (Fernanda Concon). Em meio a grandes aventuras, os pequenos precisam juntar todas as suas forças para que o sítio não seja vendido para o vilão González (Paulo Miklos) e seu fiel escudeiro Gonzalito (Oscar Filho), que pretendem transformar o lugar em uma fábrica poluente.

O roteiro de Márcio Alemão, Mirna Nogueira e Erez Migron é totalmente simples e sem maiores surpresas, assim como toda e qualquer novela mexicana, mas considerando que se trata de um longa infantil, voltado essencialmente para crianças, achei a proposta bem condizente. As mensagens de “amizade” e “consciência ambiental” embutidas dentro da trama, fazem todo o sentido com a realidade de hoje em dia, onde as crianças parecem estar mais individualistas e apegadas ao mundo digital do que nunca.

Já a direção de Alexandre Boury (Um Anjo Trapalhão) e Maurício Eça (Apneia), também não chega a decepcionar a ponto de transformar o filme em algo ruim. Na verdade, ambos até conseguiram trazer para a película toda a atmosfera adquirida ao longo da novela. Só sinto que talvez eles tenham tido um pouco de trabalho para aquietar toda a euforia daquele elenco estreante no cinema. Eu achei que poderiam ter entrado um pouco mais dentro daquele universo travesso de uma colônia de férias, e que faltou um pouco mais de drama em algumas cenas. Todavia, tirando isso, algumas câmeras tremidas e certos efeitos amadores, o resto ficou tudo dentro do esperado.

É engraçado como algumas crianças evoluíram com o tempo, assim como Fernanda Cocon, Thomaz Costa, Lucas Santos e Nicholas Torres. Todos esses amadureceram, tanto fisicamente, como profissionalmente. Se tornaram mais seguros em cena e dominaram seus personagens. Já outros, como Larissa Manoela, João Paulo Campos e Maísa Silva continuam estagnados no tempo e ainda soam inexperientes demais.

Agora sobre o elenco adulto, tenho que dizer para o Paulo Miklos nunca desistir da carreira de cantor, pois atuando ele definitivamente não é um primor. O vocalista da banda Titãs soa forçado e caricato demais em todas as suas cenas, um horror! Já Oscar Filho, digo que até me surpreendeu no bom sentido. O ex-CQC estava bem caricato, mas acertou do começo ao fim. Penso que esta boa atuação se deve ao trabalho em conjunto de Eça e Boury.

Concluindo, Carrossel – O Filme definitivamente não se compara a uma produção Disney, mas consegue extrair os melhores elementos da TV para as telonas. Acredito que seja uma boa opção para a criançada nessas férias de julho.

Trailer:

*Crítica também postada no site Blah Cultural

Crítica: Beijei uma Garota (2015)

27 jul

Beijei uma Garota

Após estrear com louvor no Festival International du Film de l’Alpe d’Huez, na França, e de uma temporada de sucesso por lá, a comédia romântica Beijei Uma Garota (Toute première fois), chega ao Brasil no próximo dia 30 de julho.

A película estrelada pela sensação francesa do momento, o ator Pio Marmaï, aborda um tema bastante discutido nos últimos tempos aqui no Brasil, a homossexualidade. Entretanto, engana-se quem pensa que o longa é mais um daqueles filmes clichês construídos sobre um relacionamento entre dois homens ou duas mulheres. A obra dos diretores Maxime Govare e Noémie Saglio vai muito mais além, e consegue trazer uma outra discussão à tona: a bissexualidade, ou uma sexualidade livre.

Se no mundo de hoje falar sobre relações entre pessoas do mesmo sexo ainda parece difícil, imagina você construir uma narrativa sobre o tema, transcendendo o conceito pré-estabelecido que nós temos sobre a sexualidade humana. De fato, para muita gente romper barreiras como essa pode soar confuso demais. Todavia, a película francesa consegue fazer todo esse caminho de uma forma leve e bastante descontraída. Afinal, ninguém está livre de se apaixonar por quem quer que seja, não é verdade?

Toute première fois, título original, conta a história de Jérémie (Pio Marmaï), um empresário bem sucedido, que há mais de 10 anos possui uma relação estável com o cirurgião Antoine (Lannick Gautry). Tudo ia muito bem na vida de Jérémie, até que em um determinado dia ele simplesmente desperta nu em uma cama, ao lado de Adna (Adrianna Gradziel), uma belíssima loira sueca. A partir daí, ele precisa confrontar seus sentimentos e entender sua repentina atração por aquela mulher. Só que para isso, ele terá de driblar sua família, amigos e decidir o seu futuro com Antonie.

Esse estranho entrosamento que o personagem de Pio Marmaï sente em relação à loira misteriosa de sua vida, não é novidade no cinema. A verdade é que já vimos isso, só que no sentido inverso, em Beijando Jessica Stein (2001), onde a personagem de Jennifer Westfeldt, de repente, se vê totalmente envolvida com uma outra mulher. Não vamos negar que devido à sociedade machista em que estamos inseridos – e não pense que é só entre grupos heterossexuais-, falar sobre um tema desses abordando duas mulheres, é de fato muito mais tênue do que sendo apenas com homens. E a partir do momento em que escolhemos um lado, fica ainda mais difícil a travessia da ponte para um mundo novo, onde ninguém irá te entender e todos irão te julgar. Não é fácil algo assim, mas acredito que o trabalho de Govare e Saglio tenha sido de grande valia para essa percepção. Unindo o carisma do protagonista, juntamente com o humor de Charles (Franck Gastambide), o amigo garanhão de Jéréme, o engajado roteiro consegue aos poucos desencadear em nós, sentimentos e opiniões que poderíamos ter em relação à trama.

As piadas e algumas atitudes de Charles são nitidamente de cunho preconceituoso, mas são empregadas de uma maneira bem discreta para garantir o riso frouxo do público, já que elas são emitidas a partir de um personagem totalmente caricato. Outras situações clichês que normalmente acometem gays ou lésbicas na ficção, como ter de provar sua preferência por homens ou mulheres, estão presentes nesta película como de costume. Na trama, Jéréme é forçado a ir em um clube de stripper para saber se não está deixando de ser gay, ou se é algo passageiro. Quando na verdade ele apenas sente atração sexual por uma menina em específico. Afinal, o que deve ser isso? É um mistério do coração, é uma coisa que só o amor pode nos responder.

A química entre todos do elenco é excelente, principalmente entre Marmaï e Gastambide. Os dois belos atores estão em excelente forma dentro do filme. Os diálogos rápidos, que são de praxe em filmes franceses, funcionaram muito bem entre ambos. Gostei também da participação do ator Lannick Gautry como o adorável Antonie. Seu personagem não precisou se fazer de sofrido para que tivéssemos pena dele, tudo foi acontecendo tão naturalmente, que não demorou muito para que estivéssemos apegados ao mesmo.

Preciso muito falar sobre a excelente trilha sonora deste filme. O cuidado para que cada música combinasse com o momento extado da película foi lindo demais. A fotografia também é outra parte destacável desta obra, mixando as belas construções francesas, a natureza local e o charmoso inverno europeu, o longa conseguiu um resultado ainda mais charmoso e propício para uma comédia romântica.

Beijei Uma Garota é certamente uma obra que vale a pena ser vista. Se não for pela ousadia de inverter uma corriqueira situação hétero para um mundo homoafetivo, que seja por sua trilha, fotografia ou até por sua deliciosa comédia no bom e velho estilo francês de ser.

Trailer:

*Crítica também postada no site Blah Cultural

News: Stephen Amell será um justiceiro em As Tartarugas Ninja 2

9 jul

Stephen-Amell

Chegaram ao fim as gravações de Tartarugas Ninja 2. O anúncio foi feito pelo ator Stephen Amell em sua página no Facebook.

Amell que já está habituado com a atmosfera de filmes de heróis e justiceiros, devido ao seu trabalho como o Arqueiro Verde na série Arrow, postou uma foto ao lado da bela Megan Fox e Will Arnett, ambos protagonistas da nova película.

foto

Em Tartarugas Ninjas 2 Stephen viverá Casey Jones, um justiceiro atuante na cidade de Nova York, que se utiliza de armas como bastões de baseball, tacos de golfe e hóquei para combater o crime, juntamente com Donatello e sua turma.

As Tartarugas Ninja 2 estreia dia 16 de junho de 2016.

News: Príncipe Encantado deve ganhar filme próprio em live-action

8 jul

principe

Depois da produção em live-action de clássicos como Cinderela, Malévola, entre outros. A Disney agora está focada em realizar um novo filme, agora falando do garanhão de todas as tramas intantis, O Príncipe Encantado.

De acordo com o The HollyWood Reporter, o roteiro escrito por Matt Fogel (Vovó… Zona 3: Tal Pai, Tal Filho) tem a proposta de desconstruir toda aquela ideia que temos sobre esse personagem tão imaginário e sedutor.

Produtores de Terremoto – A Falha de San Andreas (2015), Hitman: Agente 47 e A Bela e a Fera já estão no comando da nova película, que ainda não possui diretor ou data de estreia definidos.

Além deste projeto, a Disney já está em andamento com outros live-actions como Dumbo, Mulan, Pinóquio, Ursinho Pooh, Alice no País das Maravilhas 2, Malévola 2, The Jungle Book, Cruella de Vil e A Bela e a Fera.

News: Legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo nos EUA, será pano de fundo para nova produção da Fox

8 jul

casamento

Mais um dia difícil para a “família tradicional”. A boa agora é que após a decisão do último dia 26 de junho, na qual o governo americano aprovara o casamento homoafetivo em todos os 50 Estados do país, eis que Hollywood já está de olho no marco histórico e pensa em realizar um longa sobre tal fato.

Na verdade, a trama será totalmente inspirada no drama do casal Jim ObergefellJohn ArthurObergefell, um agente imobiliário de Ohio que havia se casado com seu parceiro Arthur no estado de Maryland (um dos estados que antes da nova lei já aceitava o casamento entre pessoas do mesmo sexo). Todavia, John sofria de esclerose lateral amiotrófica, e veio a falecer algum tempo depois. Todo o drama começou quando Jim entrou na justiça para poder ser reconhecido como viúvo de seu ex-marido dentro do estado de Ohio, que ainda não havia legalizado o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo.

junh

John Arthur (esquerda) e Jim Obergefel (direita)

jim_john_ohio

Jim ao lado de seu ex-marido John, que já estava bem debilitado devido à doença

De acordo com o The New York Times, após negociações entre a 20th Century Fox, Jim e seu advogado Al Gerhardstein, o estúdio conseguiu os direitos de uma adaptação da história para o cinema. A Fox inclusive já está apta a utilizar todo o conteúdo do livro 21 Years to Midnight, que Obergefell irá escrever juntamente com a jornalista Debbie Cenziper.

A película que deve estrear só em 2017, deve contar com a produção de Wyck Godfrey (A Culpa é das Estrelas) e Marty Bowen (da série Revenge).

%d blogueiros gostam disto: